www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Geral
06/08/2009 - 14:34
Apropriação de obras federais pelo prefeito também gera debate na Câmara Municipal
Midiamax/CB
Deputados estaduais do PT questionaram primeiro: o governador André Puccinelli, do PMDB, propaga a ideia de que as obras em Mato Grosso do Sul são tocadas graças ao empenho estadual, esquecendo-se da injeção dos recursos federais.

Agora, o assunto é debatido num tom igual entre os vereadores de Campo Grande, isto é, o prefeito da cidade, Nelsinho Trad, do PMDB, também estaria puxando para si a autoria das construções, ignorando a contribuição da verba federal.

Na sessão da manhã desta quinta-feira, o assunto provocou um bate-boca que envolvera os vereadores aliados do prefeito e outros, de discurso oposicionista, como os vereadores Paulo Pedra, do PDT, Alcides Bernal, do PP, e Thais Helena, do PMDB.

A questão foi levantada pelo vereador Airton Saraiva, do DEM, ligado a Nelsinho Trad. Ele levou à tribuna um relatório com registro das obras em andamento, como pavimentação de ruas e ampliações de prédios que abrigam programas ligados à saúde municipal.

A exibição do relatório de Saraiva, segundo ele, seria uma resposta aos oposicionistas, que na sessão de ontem, teriam criticado o prefeito por não investir em obras na cidade. “Isto é uma prova de que Campo Grande não está parada”, disse o parlamentar.

O vereador Paulo Pedra, líder do prefeito Nelsinho na Câmara até um mês atrás, reagiu: disse que as obras citadas no relatório já eram conhecidas por “todos os vereadores”. “Já sabíamos disso, estas obras eram previstas no orçamento do município, aprovado por nós mesmos”, retrucou.

“Justiça seja feita, o dinheiro das obras saiu também dos cofres do governo Lula”, completou o parlamentar. Saraiva discordou com o colega ao afirmar que a verba federal havia sido conquistada por meio do empenho do prefeito e também porque a cidade possui projetos de desenvolvimento.

Alcides Bernal entrou na discussão e disse que Airton Saraiva mostrou o relatório no plenário com a intenção definida: tornar-se o novo líder do prefeito na Câmara. “E o prefeito Nelsinho não faz isso [obras] por bondade”, disse Bernal, seguindo o raciocínio de Pedra acerca do envio de recurso federal para bancar as obras municipais.

Já o vereador Wanderley Cabeludo saiu em defesa de Saraiva. Ele disse que a maioria dos 21 vereadores havia se elegido com o apoio do prefeito e que os oposicionistas estariam mais interessados nas eleições do ano do que debater o número de obras executadas na cidade. “Esta discussão tem cara de palanque”, arrematou o vereador.

Assembléia

O deputado estadual Paulo Duarte, do PT, entrou com um requerimento que pede ao governo estadual um balanço dos gastos com publicidade oficial. O petista disse que André Puccinelli exibe nas propagandas obras custeadas por recursos federais como se fossem investimentos estaduais.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Carreiras digitais em alta: é hora de melhorar seu currículo
    
   
Venda de carros
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS