www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
19/06/2021 - 09:06
Procuradoria-Geral do Estado coordena GTI que implantará a nova Lei de Licitações em MS
Foto: Divulgação
Discutir as estratégias de alinhamento para a implantação da nova Lei de Licitações e Contratos Administrativos em Mato Grosso do Sul. Este foi o tema da primeira reunião do Grupo de Trabalho Intersetorial (GTI), constituído pelo Governo do Estado para tratar sobre o assunto, realizada nessa quinta-feira (17.6), na modalidade on-line.
 
A convite do coordenador do GTI, procurador-Geral Adjunto do Consultivo, Ivanildo Silva da Costa, as boas-vindas coube à procuradora-Geral do Estado, Fabíola Marquetti Sanches Rahim; ao procurador-Geral Adjunto do Contencioso, Márcio André Batista de Arruda e à secretária estadual de Administração e Desburocratização, Ana Carolina Araujo Nardes.
 
Fabíola Marquetti agradeceu a participação da equipe. “Obrigada pelo trabalho grande e grandioso que vocês terão pela frente pela importância da consolidação de muitas jurisprudências e de sanar muitas dúvidas ligadas à operacionalidade dessa nova lei. Acredito que este grupo tenha unidade para criar a normatização estadual que uniformize a aplicação dessa lei, porque vocês são profissionais qualificados e envolvidos para o sucesso deste trabalho”, afirmou.
 
Já Márcio Arruda, complementou dizendo sobre o trabalho de adequação e adaptação a ser feito pela equipe. “São mais de 50 regulamentos para a fiel concretização da lei de licitações, então, desejo um ótimo trabalho a todos e conte conosco”, frisou.
 
A gestora da SAD enalteceu a PGE pelo entendimento da necessidade da criação do grupo. “Acredito que a melhoria da área de Compras não deixa de ser uma continuidade e uma adaptação dos trabalhos que já vinham sendo desenvolvidos no Estado. Espero que, ao final, tenhamos a implantação da nova lei de uma maneira mais objetiva de trabalhar e de padronizar nossas áreas técnicas na operacionalidade das atividades competentes”, disse.
 
O coordenador do GTI, Ivanildo da Costa, comentou sobre a relevância do encontro. “Esta é a primeira de várias reuniões que acontecerão, pois este trabalho é de extrema importância para a Administração Pública de Mato Grosso do Sul, já que será estudada a regulamentação e a implantação da nova lei de licitações em âmbito estadual. A escolha da PGE, para o gerenciamento das atividades demonstra a importância da nossa instituição e a valorização do nosso trabalho para a condução deste importante tema”, assegurou.
 
Em relação às expectativas, ele avaliou que serão intensos os encontros e de muita dedicação já que as expectativas são grandes. “O resultado deste trabalho vai orientar todas as ações da Administração Pública, principalmente, no que tange às compras públicas especialmente porque a nova lei mudou muitos pontos em relação ao regime antigo. Assim, nós esperamos que com o resultado deste trabalho possamos facilitar e contribuir para uma Administração Pública mais ágil, dinâmica e moderna”, finalizou.
 
Entre as decisões tomadas ficou definido que às reuniões ordinárias serão quinzenais e, caso haja necessidade, poderão haver reuniões extraordinárias. Em relação aos primeiros temas a serem estudados são eles: agentes de contratação, leilão e bens de luxo.
 
Também participaram da primeira reunião do GTI os procuradores do Estado, Vanessa de Mesquita e Sá (chefe da Coordenadoria Jurídica, da PGE, de Compras e Contratos - Cjur/CCP e secretária-Executiva do GTI), André Lopes Carvalho, Jaime Caldeira Jhunyor e Dênis Cleiber Miyashiro Castilho (chefe da Coordenadoria Jurídica, da PGE, na Superintendência de Compras - Sucomp/SAD); o superintendente de Gestão de Compras e Materiais (Sucomp/SAD), Leonardo Dias Marcello; a coordenadora de Gestão de Patrimônio, Adriana Rodrigues Moreira; e o auditor-Chefe do Centro de Estudos de Orientações Técnicas da Corregedoria-Geral do Estado (Ceot/CGE), Natalino Gonçalves de Almeida.
 
Lei Federal
 
Com a promulgação da nova Lei de Licitações e Contratos Administrativos em 1º de abril de 2021, a gestão pública brasileira passou a operar em um novo marco legal, em substituição às Leis nº 8.666/1993 (Lei de Licitações), 10.520/2002 (Lei do Pregão) e 12.462/2011 (Regime Diferenciado de Contratações - RDC), além de abordar temas relacionados.
 
Por dois anos, os órgãos públicos poderão optar entre a utilização da legislação antiga ou da nova, ao fim dos quais a nova Lei passará a ser obrigatória para todos. A Lei nº 14.133/2021 traz regras para União, estados, Distrito Federal e municípios, prevendo cinco modalidades de licitação: concorrência, concurso, leilão, pregão e novidade denominada diálogo competitivo (art. 28). Foram extintas as modalidades “tomada de preço” e “convite”.
 
Karla Tatiane, PGE
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Necessidade de desenvolvermos a inteligência emocional
    
   
Paulo Corrêa, presidente da Assembleia Legislativa
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS