www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Geral
27/03/2009 - 08:37
Protesto cobra esclarecimento sobre assassinato
Foto: Hora da Notícia
Hora da Notícia

A morte do advogado Nivaldo Nogueira de Souza, vítima de pistoleiros no último dia 23 em Costa Rica, mobilizou a classe em todo o Estado nesta quinta-feira (26). Em Costa Rica a manifestação foi organizada pelo presidente da 16ª Subsecção da Ordem dos Advogados, Roberto Rodrigues, em frente ao Fórum da Comarca, com bandeiras a meio mastro em sinal de luto. Estiveram presentes o juiz da Comarca, Luiz Alberto de Moura Filho; o representante do Ministério Público, Izonildo Gonçalves de Assunção Júnior; a esposa do falecido, Anésia Nogueira dos Santos, acompanhada dos dois filhos e advogados. Todos foram unânimes em classificar o crime com “barbárie”.

Roberto enfatizou a cobrança e afirmou que a classe está unida na cobrança pela elucidação do crime brutal que foi vítima o advogado. Ressaltou a importância do Estado em esclarecer e observou que outros casos precisam ser solucionados, referindo-se ao moto-taxista assassinado há mais de um ano. Ele condenou a forma covarde e violenta do assassinato: “as diferenças são resolvidas na justiça, nos queremos agir dentro da legalidade”. Ele ainda agradeceu o empenho do prefeito no momento em que a família precisou. O prefeito foi representado pelo secretário de administração do município, Sérgio Delgado.

A esposa do falecido, com a voz embargada iniciou sua fala chorando e disse: “Juro a vocês, a dor é grande, nunca vai acabar”. Ela ressaltou as qualidades do marido, e condenou a violência: “ele não era um bandido, mesmo que fosse ninguém tem direito de tirar a vida de ninguém”. Agradeceu os amigos e funcionários do Fórum; as pessoas que estão empenhadas em desvendar o crime e pediu que seja feita “justiça”. Expôs o sofrimento da família, os pais da vítima estão acamados. Era um homem generoso com os menos favorecidos, sempre disse: “somos todos iguais”; era simples, bom pai e finalizou: “a família está danificada”.

Abalado com lágrimas no rosto, o promotor foi firme na sua fala, criticou a falta de delegado: “no dia do crime não tinha delegado na cidade, o local do crime foi preservado por nós enquanto a polícia fazia diligências”. Para o promotor todos os crimes são importantes e devem ser esclarecidos. Ressaltou a organização da OAB a frente do caso. No Caso do moto-taxista, as dificuldades para o esclarecimento está no silêncio da população, isso dificulta para a polícia chegar ao autor: “a população tem medo, não fala. A mãe dele está lutando sozinha, veio falar comigo... nós estamos trabalhando, com certeza vamos colocar na cadeia o assassino do seu filho também”. Izonildo finalizou dizendo que a sociedade não pode aceitar e é preciso reagir: “eu vi o sofrimento da família; o pai e a mãe de Nivaldo estão desolados”. E fez um alerta: “é o nosso futuro que está em jogo”.

Luiz Alberto pediu a população para ajudar a esclarecer o crime com informações que por ventura possa ter sobre a autoria do homicídio. O magistrado cobrou da Secretaria de Segurança do Estado para que cumpra o papel e forneça estrutura as policias para que possam trabalhar. Ele reafirmou as dificuldades vividas pela policia local: “falta estrutura para enfrentar o crime, nós precisamos ajudar com gasolina e Pneus, a cidade precisa do policiamento preventivo” afirmou o Juiz.

O advogado Marcio Rodrigues destacou as qualidades do colega Nivaldo, cobrou a elucidação do caso, e observou a importância da cobrança da sociedade. Concluiu dizendo: “sem advogado não há justiça, não há democracia”. Já a defensora pública, Débora Maria de Souza, observou que a sociedade está chocada: “vimos cenas horríveis, parece que estamos em outro planeta” - se referindo a brutalidade do crime. Reafirmou a obrigação do Estado em dar uma resposta a sociedade. O advogado do município de Figueirão, Abadio Queiroz Baird, observou que há grupo de homens e mulheres organizado para cobrar por justiça. Para Baird, a sociedade acredita na instituição judiciário. Segundo ele o legislativo está desgastado e o executivo desacreditado junto a opinião pública.

O filho de Nivaldo, Paulo Carneiro de Souza Neto, fez a leitura do texto da presidência da Seccional da Ordem, “Oração do Advogado Assassinado”, universitário do 4º ano de direito.

O presidente

Em Campo Grande o presidente da OAB, Fabio Trad, falou ao Hora da Notícia e disse que a instituição está acompanhando o caso em Costa Rica e na capital junto ao secretário de segurança. Segundo ele nada justifica o crime: “não podemos tirar nossas diferenças dessa forma, essas pessoas que cometeram esse crime não sabem a extensão dos seus gestos”.

Veja fotos: http://www.horadanoticia.com.br/?conteudo=GaleriaFotos&gal_id=18

Hora da Notícia.



É permitida a reprodução do conteúdo desta página desde que seja citada a fonte, Hora da Notícia. Todos os direitos reservados.
         
         
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 
   
Carreiras digitais em alta: é hora de melhorar seu currículo
    
   
Venda de carros
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS