www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Política
10/12/2019 - 09:09
Agora é lei: agressor de mulher não pode ocupar cargo público em Costa Rica
Foto: Reprodução
Com o objetivo de prevenir e coibir a violência contra a mulher, o presidente da Câmara de Vereadores de Costa Rica, Averaldo Barbosa da Costa (MDB), é o autor de um projeto de lei que proíbe os condenados pela Lei Maria da Penha de serem nomeados em cargos públicos na Prefeitura, no Poder Legislativo costarriquense, e no Serviço Municipal de Água e Esgoto (SAAE), em Costa Rica.
 
Averaldo Barbosa explicou que o projeto representa uma resposta do Poder Público Municipal ao crescimento dos casos de feminicídio no município e no Brasil.
 
“O município de Costa Rica vem traçando políticas para a prevenção da violência e acolhimento da mulher vítima da violência doméstica, sendo este projeto mais um instrumento na luta pela proteção daquelas que mais precisam e devem estar acobertadas pelos componentes desta Casa de Leis. Seria injusto e na contramão das políticas públicas voltadas à prevenção de violência contra a mulher, continuarmos silentes e omissos à possibilidade de ingresso de cidadãos nos órgãos públicos municipais, que de forma desleal e desumana promovem esse tipo de ato contra as mulheres desse país”, explica o presidente.
 
No Brasil o número de crimes cometidos contra a mulher, no âmbito familiar, cresceu vertiginosamente, sejam ameaças, lesão corporal ou mesmo o feminicídio atingiram índices alarmantes. Em Costa Rica-MS, conforme o delegado da Polícia Civil do município, Alexandro Mendes de Araújo, nos últimos três anos, quatro mulheres foram vítimas e duas sofreram tentativa de feminicídio.
 
Segundo Averaldo, a lei vem como mais uma forma de desestimular a agressão e efetivar consequências práticas para o agressor.
 
“Podemos não resolver de vez esse problema social que se alastra e que avança assustadoramente por todos os recantos desse país, mas é uma pequena semente que se semeada por todos os municípios brasileiros, tende a erradicar esse mal social”, finaliza Averaldo.
 
A proposta foi aprovada por unanimidade de votos pelos vereadores durante sessão legislativa realizada no dia 17 de junho. O prefeito de Costa Rica-MS, Waldeli dos Santos Rosa (MDB) sancionou e o PL n° 414 foi convertido na Lei Municipal n° 1.437/2019.
 
 
Cassiane Mews/ Assecom/CMCR

 

    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
João Maria Lós, presidente do TRE:
    
   
Ramiro Piergentile Neto
Direito de Opinar
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS