www.horadanoticia.com.br
Aqui você lê o que acontece de fato
 
    Hora da Notícia (67) 9924-2726    Busca
   Primeira Página
   Notícias
      › Brasil
      › Alcinópolis
      › Camapuã
      › Chapadão do Sul
      › Costa Rica
      › Figueirão
      › Paraíso das Águas
   Guia de Negócios
   Agenda de Eventos
   Colunistas
   Galeria de Fotos
   Aniversariantes
   Notas Breves
   Charges
   Entrevistas
   Quem Somos
   Expediente
   Anuncie Aqui!
   Fale Conosco
  Informativo
  Cotações
Notícias
Busca 
Polícia
01/08/2015 - 21:34
Menores acusados de participação no assassinato do pecuarista Zé Lopes voltam a aprontar, mesmo cumprindo medidas educativas
Foto: H.N
Hora da Notícia
Mais uma vez a Polícia de Costa Rica/MS e os Conselheiros Tutelares se depararam com os “menores infratores” que no passado foram acusados de participação no assassinato do pecuarista José Carlos Antunes Lopes que na época tinha 66 anos, conhecido pelos amigos como “Zé Lopes”. Neste sábado (01) de agosto por volta das 15 horas o Conselho Tutelar recebeu denúncia anônima dando conta de que havia menores bebendo nas margens do rio Cascavel, próximo da Rodovia MS 243, distante cerca de 20 km da cidade de Costa Rica.
 
A Polícia Militar foi acionada e flagrou o grupo de menores de idade acompanhados de indivíduos maiores que de acordo com o B.O (Boletim de Ocorrência) são os responsáveis de terem levado os menores para as margens do rio para ingerir bebida alcoólica e tomar banho. De acordo com o B.O os maiores disseram aos policiais que foram os responsáveis de levar os menores para a beira do rio.
 
Os marmanjos estavam em um veículo gol de placa HGS 6414 que de acordo com eles foi usado para o transporte dos desocupados para o local. Todos foram levados para o  quartel da Polícia Militar e foram submetidos ao teste do Etilômetro (Bafômetro). Das quatro menores foi constatado álcool no organismo de duas. O veículo está foi recolhido no pátio da Polícia Militar.
 
De acordo com o B.O Cleber Ramos de Jesus, 18 anos que na época do assassinato do pecuarista tinha 17 anos foi autuado em flagrante pelo delegado Cleverson Alves dos Santos.  Já o irmão de Cleber um menor de 16 aos de idade, acusado de participação na morte do pecuarista vai responder a mais um ato infracional. Na época que mataram o pecuarista ele tinha 15 anos.
 
Outros dois maiores de idade também foram autuados: John Mayke  Amorin Alves, 22 anos, Fábio Junior da Silva Araújo, 19. Outros quatro menores foram ouvidos e liberados.
 
Na delegacia a mães e país dos “adolescentes infratores” os aguardavam. A mãe de uma jovem de 16 anos disse ao Hora da Notícia que ela mentiu, “ela me disse que iria na casa de uma amiga, e agora estou na delegacia, ela  tem 16 anos”, reclamou a mãe.
 
A Conselheira Tutelar informou para o Hora da Notícia que dois menores que participaram do assassinato do pecuarista ainda estão em liberdade assistida, portanto não poderiam estar na beira do rio. O Hora da Notícia apurou que a internação dos menores infratores pelo crime pode ter sido determinado um período de 45 dias a três anos.  
 
Os maiores foram autuados por vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência. Eles podem ser condenados a uma pena de detenção que vai de dois a quatro anos de detenção mais multa, se o fato não constitui crime mais grave.
 
O assassinato do pecuarista:
 
O corpo de José Carlos Antunes Lopes foi encontrado no dia 28 maio de 2014 em uma estrada municipal próximo de uma lavoura de cana de açúcar ao lado do Aeroporto Municipal da cidade. Oito adolescentes com idade entre 14 e 17 anos foram acusados de praticar do crime, entre eles duas moças adolescentes com idade entre 15 e 17 anos. Os acusados atraíram o pecuarista para uma emboscada.   
 
Na época o delegado Cleverson afirmou ao Hora da Notícia que a sensação de impunidade aliada à falta de comprometimento e falta de limites para os acusados os leva a cometer crimes bárbaros, ”eles saem por ai, uma galera que não tem comprometimento, a família falha com a responsabilidade, não exige, mas dá liberdade”, disse o delegado.


É permitida a reprodução do conteúdo desta página desde que seja citada a fonte, Hora da Notícia. Todos os direitos reservados.
    
› Deixe sua opinião
Nome  
E-mail  
Mensagem 
 
Digite as duas palavras que você vê abaixo:
 
 


   
Previdência: reforma corta pensão por morte pela metade e prejudica os cônjuges
    
   
Suzana Garcia, advogada/Notícia ao Minuto
    
   
    
Publicidade
Hora da Noticia   |   (67) 9924-2726   |   [email protected]   |   Costa Rica - MS